Quem somos | Envie dicas | Contato

Para encerrar nossa série de entrevistas com os personagens do filme Os Vingadores (The Avengers) veremos o que aconteceu com nosso repórter ao entrevistar o Dr. Bruce Banner – o Incrível Hulk.

Para a missão destacamos Fabricio (Siciliano), o único corajoso (ou imbecil) que aceitou cumprir essa ingrata tarefa. Segue a transcrição do áudio gravado.

 

[2Centavos] Bom dia, Dr. Bruce Banner, como o senhor está?
[Bruce Banner] Bom dia meu jovem. Eu estou me sentindo bem, mas isso é bastante relativo.

[2C] Hum, e qual é a sensação de salvar o mundo?
[BB] Salvar o mundo é uma experiência muito gratificante, embora eu o tenha feito indiretamente, se é que me entende.

[2C] Entendo, o senhor quer dizer que acabou salvando o mundo como Hulk, não é?
[BB] É um tanto complicado explicar isso, mas digamos que sim. Eu e o Hulk estamos na mesma pessoa, somos a personificação de extremos da minha personalidade que assumem o controle em situações especificas. Somos duas faces da mesma moeda. Então na verdade ambos salvamos o mundo, mas em determinados situações cada face foi útil a sua maneira.

[2C] E como funciona essa mudança de uma personalidade para outra?
[BB] Depois que o vazamento de raios gama me atingiu, a separação acontece normalmente em um rompante de raiva. Desta forma o Hulk aparece de forma mais descontrolada, e quanto mais irritado ele fica, mais forte ele se torna, mas ao mesmo tempo mais descontrolado. Eu tenho conseguido segurar essa transformação em algumas situações.

[2C] Como?
[BB] Meu jovem, eu estou sempre com raiva, então é só deixar a raiva fluir aos poucos.

[2C] Por que o senhor está sempre com raiva?
[BB] Como todo grande cientista, em minha adolescência eu sofri bullying. Mas não quero entrar nos detalhes disso, para o seu bem e o de toda sua equipe.

[2C] Ok, falaremos sobre o assunto mais adiante?
[BB] NÃO, não falaremos.

[2C] Está bem, mas sabe como é… na verdade, desculpe falar tão francamente, mas é que, bom, queríamos mesmo era falar com o Hulk.
[BB] Você não tem ideia do que está pedindo e me provocar não é uma atitude muito sã.

[2C] Isso eu sei, mas o pessoal da redação insistiu para que eu falasse com o Hulk, até porque cientistas sendo entrevistados não são tão interessantes pro público e. Particularmente, eu queria ver de perto o Hulk, sabe, sou fã dele! Mas até fiquei interessado no Sr. quando mencionou o bullying, isso dá audiência. Deve ter sido uma experiência muito traumática, algo que pode ter machucado muito o senhor ao ponto de ter se fechado no mundo da ciência e criado esse distúrbio psicológico que originou o Hulk. Na verdade eu até acho que essa explosão de raios gama seja uma desculpa para que o senhor bote para fora essa raiva do mundo, por ter sofrido tal experiência na juventude.
[BB] COMO É? VOCÊ ACHA QUE USO A EXPLOSÃO COMO DESCULPA? E JÁ FALEI QUE NÃO RESPONDEREI SOBRE ESSA EXPERIÊNCIA.

[2C] Ok Dr., mas o senhor entende a importância de falar sobre o assunto? Sabe quantas pessoas já sofreram tão repulsivo ato de agressão psicológica? Seria muito importante que isso fosse transmitido para o público. Afinal, uma celebridade passando por coisas que as pessoas comuns passam, com certeza abriria portas para…

(transcrição: ruídos na gravação, aparentemente a sala onde a entrevista ocorria sofreu uma trepidação).

[HULK] HOMENZINHO CHATO, NÃO QUERO FALAR NADA!

[2C] Calma Dr. Bru… Ãh Hulk, só queria conversar um pouco e….
[HULK] HULK NÃO VAI FALAR NADA! HULK LOUCO DE RAIVA! HULK VAI APERTAR PESCOÇOS!!!

[2C] OK! Ok! Me desculpe, vamos então encerrar a entrevista com algumas perguntas rápidas:

Ser um herói é…

(transcrição: estrondos, explosões e ruídos. chiado. silêncio).

 

E essas foram as ultimas palavras que conseguimos transcrever após um difícil trabalho de recuperação do gravador que foi encontrado destruído. Infelizmente não temos um pé para a matéria pois nosso querido companheiro Fabrício está desaparecido. Resta nossa esperança de que ele esteja bem e retorne para o QG do 2Centavos.

 


Aparentemente é a última vez em que terei de suportar o Capitão Óbvio exigindo esta nota de rodapé. Sinto um alívio por isso. E então, eis a informação que ele tanto quer: “Nós inventamos essas entrevistas, não são reais!”. Tchau Capitão!

facebook-profile-picture

Desenhista amador, escritor amador, jornalista amador (hoje em dia pode!), atleta amador, mas um opinador profissional. Curto filmes, games, quadrinhos e comida. Mas quem não gosta disso?
Veja outros artigos por